Com mais de meio século dedicado ao Rádio, Dalcy Melara conta os fatos ‘pitorescos’ de sua trajetória

Confira a coluna Porto de Memórias!

0

Nascido em 10 de novembro de 1940 em Sales, o primeiro entrevistado do Projeto Porto de Memórias reside na cidade a mais de 68 anos e já é ferreirense de coração. Com a mãe professora, Dalcy passou boa parte da infância na pequena cidade de Borborema, também no interior paulista, onde a mãe lecionava. Anos depois, com a transferência de sua primeira mestra para o Grupo Escolar Sud Mennucci, Melara se mudou para Porto Ferreira, concluindo seus estudos no então Ginásio Estadual Washington Luiz.

Na cidade, logo cedo, iniciou a atividade profissional na área radiofônica. Paixão que já se estende por mais de 55 anos. Seu primeiro trabalho, foi como voluntário no saudoso serviço de alto falantes da Rádio Primavera. Os olhos vibrantes e úmidos, a voz empolgante e forte, denunciam o orgulho e o prazer de dizer que foi ‘o primeiro locutor a usar o microfone da Rádio Primavera’.

Durante sua vida, com o correr meândrico da existência, acabou se formando em Administração de Empresas no atual Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos e trabalhou em diversos bancos em várias cidades, de São Paulo e em Minas Gerais. Mesmo assim, nunca abandonou a carreira radiofônica, nem muito menos sua paixão e carinho por Porto Ferreira.

Os cabelos grisalhos e a pele enrugada, mais do que caprichos do tempo, são vitrines que revelam que a vida foi vivida e as memórias e lembranças acumuladas como a neve se acumula no verde das árvores com a chegada do inverno. Memórias como os causos do serviço de alto falante, os romances da praça Matriz, sua colaboração na redação do jornal O Ferreirense, figuras folclóricas, as marchinhas do carnaval de salão, entre outras.

O projeto Porto de Memórias foi idealizado pelo ferreirense e jornalista Felipe Lamellas e se propõe a contar histórias de vida de personalidades marcantes para a cidade, conhecidas ou não. O objetivo principal é resgatar e preservar a memória da comunidade local, contando histórias, causos e lembranças de membros da sociedade, que se confundem com a própria história da cidade. Todas as entrevistas estão disponíveis no YouTube.

Link da entrevista: https://youtu.be/YL6QpEg5Mfg

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.